Fonte Maior Fonte Padrão Fonte Menor
20 Fev 2016
Cursos Corporativos Grátis
0 Comentários - Comentar  ::  Categoria: Utilidade Pública, Oportunidades de Negócios

Cursos Corporativos Grátis

Clique e acesse um curso grátis e você verá que o futuro já chegou no EaD
 

Inovação no Aprendizado     Delegação de Tarefas e Empowerment

Tags:
Cursos Corporativos Grátis, Inovação no Aprendizado, Delegação de Tarefas & Empowerment
Maxta, Maxlearner, Robson Vitorino, cursos, corporativos, grátis, coaching

Links: 1) MaxLearner    2) Maxta


26 Nov 2015
Faça MISSÕES investindo no Campo Missionário de Varre-Sai
0 Comentários - Comentar  ::  Categoria: Eventos, Comunicações, Utilidade Pública

Campo Missionário de Varre-Sai - parceria com a JMN/IPB

FAÇA MISSÕES INVESTINDO NO CAMPO MISSIONÁRIO DE VARRE-SAI!

Campo missionário em parceria com a JUNTA DE MISSÕES NACIONAIS - JMN, da IPB

Saiba mais sobre este trabalho missionário no site
: www.ipvarresai.com.br 

TERRENO ADQUIRIDO EM 11/11/2015
PARA A CONSTRUÇÃO DAS INSTALAÇÕES DA IGREJA PRESBITERIANA DE VARRE-SAI



Custo Total do Terreno : R$ 150.000,00; Valor pago no ato da compra: R$ 100.000,00
Saldo a ser quitado em 24 meses = R$ 50.000,00


AJUDE-NOS A QUITAR O SALDO DEVEDOR DE R$ 50.000,00 e N0S CUSTOS COM PROJETO
E INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS (Banheiros e um pequeno Galpão)


Faça uma doação em parcela única (parcelamento em até 18x no cartão de crédito)

Torne-se um MANTENEDOR(A) MENSAL desta obra, fazendo doações, a cada mês, no valor que Deus propuser no seu coração

FAÇA SUA DOAÇÃO AGORA, CLICANDO NO BOTÃO ABAIXO
( todas as formas de pagamento usuais disponíveis: Cartões, Boleta, Transferência bancária )
Parcele em até 18x no cartão!

"Deus ama ao que dá com alegria" (2a. Co 9.7)

Para mais informações, envie-nos um email para:

Se preferir, deposite diretamente na Conta-Corrente da Igreja:

Titular ( Igreja-mãe): Igreja Presbiteriana da Vinhosa
Banco: ITAÚ   -   AG.: 1334   -   C/C No.: 20.411-0
CNPJ: 04.904.995/0001-76 (*)
(*) pedimos a gentileza de nos informar sobre o seu depósito para o email acima.

VISITE NOSSO SITE EM DOMÍNIO PRÓPRIO: www.ipvarresai.com.br
FanPage Facebook: www.facebook.com/IPB.VarreSai

Outro site nosso: http://www.instituteffl.com/moodle/course/view.php?id=63
Tags: Missões, Obra, Social, Construção, Templo, Igreja, Presbiteriana, ipb, varre-sai, evangélica, parceria, projeto, plantação, junta, missões, nacionais, jmn


29 Mai 2013
É Preciso Coragem
0 Comentários - Comentar  ::  Categoria: Crônicas da Vida, Utilidade Pública, Oportunidades de Negócios

Por: Robson Vitorino (*)

Não precisaria de pesquisas para chegar à conclusão que mais de 50% das pessoas que eu conheço não estão satisfeitas com o seu emprego atual. Mas as pesquisas são fundamentais para deixarmos os “achismos” de lado e identificarmos com mais precisão o cenário.

Uma pesquisa da Towers Watson em 16 países, divulgada em julho de 2012, aponta que fora do Brasil 65% dos trabalhadores estão desengajados. No Brasil, são “apenas” 30%.
Muita gente está infeliz porque trabalha “no escuro”. Segundo a pesquisa, no Brasil, 46% dos funcionários dizem não conhecer as metas das empresas onde trabalham. E 44% dizem que não sabem o que precisam fazer para ajudar a companhia a atingir seus resultados. Outro fator de infelicidade é o descasamento entre valores pessoais e corporativos. Uma pesquisa da Bain & Company com 750 profissionais de seis países revelou que 15% dos executivos já aceitaram redução no salário para trabalhar em empresas que adotam práticas sustentáveis.

Segundo a autora Teresa Amabile em sua obra “The Progress Principle”:
“O fator mais importante para o engajamento das pessoas é perceber avanços em um trabalho que faça sentido. Mesmo que pequenos passos adiante incrementam o que nós chamamos de vida profissional interior.”

Você é capaz de responder a pergunta abaixo?
O que o seu trabalho atual está fazendo com você como pessoa ? com a sua mente, seu caráter e seus relacionamentos?

Acredito que seja sim. Interessante é que a maioria das pessoas cujo eu identifico alto índice de insatisfação, consegue responder bem esta pergunta.
Já reparou que existe um perfil de comportamento que eu costumo chamar de “Tipo ímã” (peça de aço magnetizado que atrai). Pessoas “tipo ímã”, parecem ímã, queriam ser ímã, mas não são. Esse tipo de pessoa está sempre esperando atrair (receber) algum benefício da empresa, uma ajuda da família, dos amigos, do governo, etc. Acha sempre que está em posição de ser ajudada (atraindo ajuda). Esse perfil de pessoa não conhece o sabor da conquista.

O que você tem feito por você mesmo? Para melhorar enquanto profissional? Quais foram as suas últimas conquistas? Há quanto tempo?
Nós conseguimos observar os elementos ao nosso redor, mas temos sérias dificuldades em nos perceber. A nossa mente é mestre em maquiar as nossas falhas e evidenciar as falhas externas. Será que a empresa que você trabalha é tão ruim assim como você pensa? Será que o seu chefe é esse monstro que você acredita ser?

É preciso muita coragem para investir tempo em se conhecer melhor. Eu quero te recomendar um remédio. No mundo do coaching nós chamamos de CHA ? Conhecimento, Habilidades e Atitudes. Você se conhece bem? Que tipo de conhecimento você tem obtido? Conhece as suas principais habilidades? Você é uma pessoa de atitudes? Suas atitudes geram resultados satisfatórios?

É preciso coragem para se conhecer bem para mudar. Ao se conhecer melhor é possível tomar decisões acertadas, definir objetivos alcançáveis e desenvolver habilidades alinhadas com o seu perfil. Não esperar mais, mas fazer acontecer hoje e agora. É preciso coragem!

(*) Robson Vitorino: é Coach, palestrante, professor, articulista e consultor nas áreas de Marketing, Comunicação, Liderança e Gestão de Pessoas ? www.robsonvitorino.com.br

Entre em contato com Robson Vitorino e agende uma sessão gratuita de coach.


06 Fev 2013
Opinião do Caio Fabio sobre entrevista do Silas com Gabi
0 Comentários - Comentar  ::  Categoria: Utilidade Pública, Reportagens

Caio Fábio em:  "CAIOFABIO.NET"

ACABO DE VER A ENTREVISTA do Silas com a Gabi.

Muitos estão me perguntando o que penso. Eis um resumo: 

1. Prosperidade: Ele é um homem seletivo e malandro. Diz o que convém onde acha que pode. Todo argumento dele vem do Velho Testamento. Jesus não serve para justificar a "tese". Mateus 5 acaba com essa conversa. I Timóteo 5 e 6 também. Dizer que a "Bíblia" manda que os "pastores" sejam ricos... É blasfêmia contra o Evangelho. Leiam Jesus, gente. Só Jesus. 

2. Dinheiro dele: O que ele diz que tem já é "fortuna" para quem diz que vive do e para o Evangelho. O Filho do homem não tinha onde reclinar a cabeça. Paulo diz aos Coríntios que trabalhava com as próprias mãos. Aos Tessalonicenses ele diz do que deva ser um "ministro do Evangelho" tudo aquilo que o Silas não é. Leiam. E mais: Tudo que ele tem está em nome de "laranjas". Manda ele me processar. Eu sei como funciona o "esquema". No fim tudo é dele. O avião é da "igreja", mas, no fim, a "igreja" é dele. Aprendeu com Macedo. A escola é velha. Num país sério estaria na cadeia. Estelionatário e mentiroso. Para mim...

Clique aqui para continuar lendo

tags: caio, fabio, silas, malafaia, frente, gabi, marília, gabriela,


01 Fev 2013
Para ser pastor... sobre a matéria da VEJA SÃO PAULO
0 Comentários - Comentar  ::  Categoria: Utilidade Pública, Reportagens

Por: Mauro Meister

A Veja São Paulo publicou neste final de semana a edição 2304, de 16 de Jan de 2013, a matéria de capa "Profissão Pastor". A chamada da matéria diz:
Acompanhamos um curso de formação de mão de obra evangélica
Em troca de dedicação integral, quem segue carreira pode ganhar um salário de até R$ 22.000 por mês

Que impressão se tem ao ler uma chamada como esta? Que ser pastor, não importa onde, é um negócio, e até bom, afinal, são poucos os ganham salários dessa monta. Veja mostra mais uma vez parcialidade ao trazer a informação ao público, selecionando de forma maliciosa o que diz e dando um quadro falso a respeito da verdade como um todo. Não que o conteúdo da matéria em si seja mentiroso. Aliás, não tenho nem como avaliar, mas posso imaginar que seja fato. O que traz o arrepio a respeito, além do erro logo no começo, ao citar uma das pessoas com quem teve contato (“Que Deus abra o caminho contra as sílabas do maligno” - certamente deveria ser "ciladas") é que a reportagem não passa de uma generalização. Ou seja, além das igrejas mencionadas, existem muitas outras, sérias e comprometidas com a formação acadêmica e pastoral dos seus ministros e que não fizeram e nem fazem do pastorado uma profissão. Que se fizesse ao menos uma ressalva... mas, nada é dito. Que existem aqueles que fizeram de igrejas comércio, é fato. Que tornaram seus pastores comerciantes, não é o meu ponto aqui. Minha indignação é que o leitor, depois de ler a VEJA SP, olhe para todos os pastores da maneira como descrito pela revista. Pois bem, para que se saiba, e isto já escrevi como carta para a revista, veja como é que se forma um pastor na Igreja Presbiteriana do Brasil:

1. precisa ser membro de uma igreja local há no mínimo 3 anos.

2. precisa se apresentar diante do conselho da igreja e ser reconhecido por este como
alguém vocacionado.

3. o conselho da igreja local deve testar este que aspira ao ministério pastoral. É costume da minha igreja local enviar este jovem para um instituto bíblico antes de enviar ao seminário (1 a 2 anos).

4. se aprovado, é enviado ao presbitério, que o examina teologicamente e exige exames e atestados físicos e psicológicos. Chega como aspirante e, caso aprovado, torna-se candidato ao ministério.

5. o presbitério deve enviá-lo a um seminário da denominação para um curso teológico que dura entre 4 e 5 anos (matutino ou noturno) no qual deve aprender, entre dezenas de disciplinas, as línguas hebraica e grega (as línguas originais em que o Antigo e Novo Testamentos foram majoritariamente escritos). A entrada é feita por uma espécie de vestibular que testa a capacidade intelectual e o conhecimento geral do candidato.

6. durante o período de candidatura é designado um tutor ao candidato que deve se assegurar dos aspectos diversos da vida espiritual, emocional e os estudos do candidato, vendo para que mantenha um padrão digno do Evangelho de Cristo.

7. depois do curso teológico o candidato apresenta-se ao presbitério com seu diploma de Bacharel em Teologia e deve fazer uma série de exames diante do presbitério (orais e escritos).

8. se aprovado o presbitério pode licenciar este candidato para a obra pastoral, ainda em um período de experiência que pode durar de um a dois anos.

9. o licenciado, depois deste período é novamente examinado pelo presbitério e então pode ser ordenado pastor.

Este processo todo tem como finalidade testar se aquele que se apresenta como candidato ao ministério pastoral preenche os requisitos bíblicos para ser pastor, como os descritos em 2 Timóteo 3.

Em um comentário a respeito desses passos alguém chegou a dizer: "assim, nem Jesus poderia ser pastor nesta igreja". Ora, a questão é que não estamos examinando Jesus, mas homens que precisam, antes de mais nada, mostrar idoneidade ao transmitir a Palavra de Deus e trabalhar com a vida das ovelhas de Cristo.

Sim, tem custo, que normalmente é arcado pela igreja, presbitério e o candidato. Não, o salário médio de um pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil está muito longe de 22 mil reais. Vamos convidar o repórter da Veja SP para ver se passa neste!

Estes passos estão descritos na Constituição da Igreja Presbiteriana do Brasil e no Manual do Candidato

Transcrito do Blog: "O Temporas! O Mores!"


<< Recentes 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Anteriores >>

Crônicas da Vida
Pastorais e Estudos
Eventos
Comunicações
Utilidade Pública
Humor
Reportagens
Mulher
Pesquisas & Estatisticas
Avivamento
Pedido de Oração
Datas Celebrativas
Fotos
Clips
Livros - Indicação
Missões
Ilustrações
Áudios de Mensagens
Oportunidades de Negócios


Facebook

© Blog do Pastor - 2007 desenvolvido por